Logomarca


Vigilância em Saúde Imprimir E-mail
Google BookmarkTwitterFacebook

A Vigilância em Saúde é uma área de extrema importância na Secretaria Municipal de Saúde. Fazem parte da Vigilância em Saúde os Serviços de Vigilância Sanitária, Vigilância Ambiental, Vigilância Epidemiológica, CEREST – Centro de Referência em Saúde do Trabalhador e SVO – Serviço de Verificação de Óbitos.

O termo “Vigilância” remete, primariamente, à palavra vigiar, estar em sentinela, procurar, cuidar, precaver-se. Em 1963, Alexander Langmuir, conceituou “Vigilância em Saúde” como a “observação contínua da distribuição e tendências da incidência de doenças mediante coleta sistemática, consolidação e avaliação de informes de morbidade e mortalidade, assim como de outros dados relevantes, e a regular disseminação dessas informações a todos os que necessitam conhecê-la”. Esta noção de “vigilância” está presente nos dias atuais.

Em 1968, durante a 21ª Assembléia Mundial da Saúde, as atribuições da “vigilância” foram amplamente discutidas, com recomendação de sua utilização não só em doenças transmissíveis, mas também em outros eventos adversos à saúde.

A partir da década de 1990 passou-se a conceber que as ações da Vigilância em Saúde continham, pelo menos, três elementos que deveriam estar integrados: 1) a ‘vigilância’ de efeitos sobre a saúde, como agravos e doenças, tarefa da ‘Vigilância Epidemiológica’, 2)a ‘vigilância’ de perigos, como agentes químicos, físicos e biológicos que possam ocasionar doenças e agravos, tarefa da ‘Vigilância Sanitária’, 3) a ‘vigilância’ de exposições de um indivíduo ou grupos populacionais a um agente ambiental ou seus efeitos ainda não aparentes, principal desafio da ‘Vigilância Ambiental’. Atualmente, estão incorporados à Vigilância em Saúde o SVO – Serviço de Verificação de Óbitos e o CEREST – Centro de Referência de Saúde do Trabalhador.

Assim sendo, entendida como ‘proposta de ação’ e uma ’área de práticas’, a “Vigilância em Saúde” apresenta as seguintes características: intervenção sobre problemas de saúde que requerem atenção e acompanhamento contínuos; adoção do conceito de risco; articulação entre ações promocionais, preventivas, curativas e reabilitadoras; atuação intersetorial; ação sobre o território; e intervenção sob a forma de operações.

 

Fonte:

Texto: Vigilância em Saúde – Maurício Monken e Carlos Batistella

http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/vigsau.html

 

 

© 2014 Prefeitura Municipal de Franca - São Paulo/Brasil
R. Frederico Moura n° 1517, Cidade Nova - Franca/SP, CEP: 14401-150
Fone: (16) 3711-9000, CNPJ: 47.970.769/0001-04/I.E.: Isento.
Desenvolvido pela Divisão de Tecnologia da Informação - Prefeitura de Franca.
Problemas na página, mande um e-mail para: informatica@franca.sp.gov.br.