Logomarca


PADEQ Imprimir E-mail
Google BookmarkTwitterFacebook

PLANO DE ATENÇÃO AO DEPENDENTE QUIMICO - PADEQ

 

No Brasil, em 2005, existiam 380 mil usuários de crack, segundo levantamento do Centro Brasileiro de Informações sobre drogas psicotrópicas (Cebrid), ligado a Unifesp.

Hoje, OMS estima que este número chegue a 600 mil.

A droga provoca um forte impacto nos serviços de saúde. O enfrentamento não pode restringir-se ao tratamento, tampouco ao combate ao trafico, isoladamente. As respostas têm que estar articuladas com ações intersetoriais de saúde, segurança, educação, assistência social, esporte, cultura, e com forte apoio da sociedade.

Em maio de 2010, o governo Federal instituiu por meio do decreto nº 7119, o Plano Integrado de enfrentamento ao Crack e outras drogas. Os objetivos são: prevenção, tratamento, reinserção social de usuários e enfrentamento ao trafico de crack e outras drogas.

O Plano destaca a integração e a articulação permanente entre as políticas e ações de saúde, assistência social, segurança pública, educação, cultura e direitos humanos.

A Prefeitura de Franca tomou a decisão de implantar na cidade o Plano Integrado de enfrentamento ao crack e outras drogas, sob os moldes do Plano Nacional.

A construção do Plano foi iniciada em abril/2011 com a participação de técnicos de secretaria de saúde, educação, defesa civil, desenvolvimento, assistência social e comunicação.

O plano assume o desafio de encarar o problema das drogas, principalmente o crack. Mas o sucesso dessa medida está diretamente relacionado ao envolvimento e participação de toda sociedade na execução das ações propostas e na criação de outras.

 

A Droga

Composição e ação no organismo

Efeitos e Consequências

Diretrizes do Plano

Organização das Ações na Rede SUS

Tratamento e Assistência à Saúde

Hospital Psiquiátrico Especializado

Reinserção Social

Unidades Básicas de Saúde

Prontos Socorros

Segurança Pública


 



A Droga

a-droga






















Crédito da imgem:TEK IMAGE/SCIENCE PHOTO LIBRARY/latinstock

 


topo

 

Composição e ação no organismo

Composição química

O crack é obtido a partir da mistura da pasta-base de coca ou cocaína refinada (feita com folhas da planta Erythroxylum coca), com bicarbonato de sódio e água. Quando aquecido a mais de 100ºC, o composto passa por um processo de decantação, em que as substâncias líquidas e sólidas são separadas. O resfriamento da porção sólida gera a pedra de crack, que concentra os princípios ativos da cocaína.

Segundo o químico e perito criminal da Polícia Federal (PF) Adriano Maldaner o nome ‘crack’ vem do barulho que as pedras fazem ao serem queimadas durante o uso. “A diferença entre a cocaína em pó e o crack é apenas a forma de uso, mas o princípio ativo é o mesmo”, afirma Maldaner.

Por ser produzido de maneira clandestina e sem qualquer tipo de controle, há diferença no nível de pureza do crack, que também pode conter outros tipos de substâncias tóxicas - cal, cimento, querosene, ácido sulfúrico, acetona, amônia e soda cáustica são comuns. “A pureza vai depender do valor pago na matéria-prima pelo produtor. Se a cocaína for cara, é misturada com outras substâncias, para render mais. Se for de uma qualidade inferior, pouca coisa ou nada é adicionado”, diz Maldaner.

Forma de uso e ação no organismo

O crack geralmente é fumado com cachimbos improvisados, feitos de latas de alumínio e tubos de PVC (policloreto de vinila), que permitem a aspiração de grande quantidade de fumaça. A pedra, geralmente com menos de 1 grama, também pode ser quebrada em pequenos pedaços e misturada a cigarros de tabaco ou maconha – o chamado mesclado, pitico ou basuco. “Ao aquecer a pedra, ela se funde e vira gás, que depois de inalado é absorvido pelos alvéolos pulmonares e chega rapidamente à corrente sanguínea”, conta Maldaner. Enquanto a cocaína em pó leva cerca 15 minutos para chegar ao cérebro e fazer efeito depois de aspirada, a chegada do crack ao sistema nervoso central é quase imediata: de 8 a 15 segundos, em média.

A ação do crack no cérebro dura entre cinco e dez minutos, período em que é potencializada a liberação de neurotransmissores como dopamina, serotonina e noradrenalina. “O efeito imediato inclui sintomas como euforia, agitação, sensação de prazer, irritabilidade, alterações da percepção e do pensamento, assim como alterações cardiovasculares e motoras, como taquicardia e tremores”, explica o psiquiatra Felix Kessler, do Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

 


topo

 

Efeitos e Consequências

Físicos

Das vias aéreas até o cérebro, a fumaça tóxica do crack causa um impacto devastador no organismo. As principais consequências físicas do consumo da droga incluem doenças pulmonares e cardíacas, sintomas digestivos e alterações na produção e captação de neurotransmissores.

Neurológicos e psicológicos

O uso do crack pode prejudicar as habilidades cognitivas (inteligência) envolvidas especialmente com a função executiva e com a atenção. Este comprometimento altera a capacidade de solução de problemas, a flexibilidade mental e a velocidade de processamento de informações.

A literatura científica sobre os efeitos neurológicos e psicológicos do crack demonstra que a droga pode causar danos às funções mentais, com prejuízos à memória, atenção e concentração. Segundo o pesquisador Felix Kessler, do Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é muito comum o desenvolvimento e agravamento da impulsividade, o que leva os indivíduos a fazerem escolhas mais imediatistas, sem avaliar as conseqüências para o futuro.

 

 portal-brasil











 





Credito da imagem: Portal Brasil

 

Enfrentamento

Fatores de risco

Curiosidade pela experiência, influência do meio e de questões psicológicas e sociais são algumas situações que podem levar ao consumo do crack. Droga de efeito rápido e intenso, o crack leva o usuário rapidamente à dependência e, por isso, é fundamental prevenir o seu consumo.

 


topo

 

DIRETRIZES DO PLANO

  • Priorizar a educação e prevenção dos usuários de drogas.
  • Ênfase no tratamento ao usuário e do dependente químico, bem como na reinserção de usuários do crack e outras drogas.
  • Fortalecimento das redes de atenção para usuários de crack e outras drogas, por meio da articulação das ações da saúde e da assistência social
  • Articulação intersetorial – saúde, assistência social, defesa civil, educação, esportes, cultura, desenvolvimento, segurança pública.
  • Formação e educação permanente para os profissionais envolvidos nas ações de enfrentamento ao uso do crack e outras drogas.
  • Criação das redes sociais de apoio ao tratamento e a reinserção social de usuários crack e outras drogas
  • Disseminação de informação e qualificação relativas ao crack e outras drogas.
  • Fortalecimento de ações para redução de ofertas do crack e outras drogas no município

 

ORGANIZAÇÃO DAS AÇÕES NA REDE SUS

 

PREVENÇÃO

 

• Promoção e Prevenção

 

As ações preventivas são planejadas e direcionadas ao desenvolvimento humano, o incentivo à educação para a vida saudável, acesso aos bens culturais, incluindo a prática de esportes, cultura, lazer, a socialização do conhecimento sobre drogas, com embasamento científico, o fomento do protagonismo juvenil, da participação da família, da escola e da sociedade na multiplicação dessas ações.

Campanhas contra o uso de crack e outras drogas, incluindo orientação à população em relação ao uso de drogas.

Orientação educacional contínua para os integrantes de comunidades específicas, tais como escolares, religiosas, de grupos responsáveis por resgate atendimento pré e pós-hospitalar e outras.

Programas de orientação, esclarecimento e suporte às famílias de usuário de crack e outras drogas.

Ampla divulgação dos serviços de saúde mental, assim como orientação da forma como procurá-los e utilizá-los, proporcionando a detecção e tratamento de usuário de crack e outras drogas.

Treinamento e supervisão contínuos e específicos para os integrantes das equipes multiprofissionais, orientando as competências e responsabilidades de cada um dos profissionais e de como executá-las.

Elaboração de Guia de Saúde Mental visando o esclarecimento de pais e professores quanto aos principais problemas da área bem como a uniformização de condutas a serem estabelecidas. Esses guias serão utilizados em escolas com treinamento para uso e supervisão periódica das equipes de retaguarda.

Promover, estimular e apoiar a capacitação continuada, o trabalho interdisciplinar e multiprofissional, com a participação de todos os atores sociais envolvidos no processo, possibilitando que esses se tornem multiplicadores, com o objetivo de ampliar, articular e fortalecer as redes sociais, visando ao desenvolvimento integrado de programas de promoção geral à saúde e de prevenção.

 

 


topo

 

TRATAMENTO E ASSISTENCIA A SAUDE

Existem diversas abordagens para quem deseja se recuperar da dependência do crack. Não há um tratamento único, que seja apropriado para todos os casos. Técnicas e sistemas podem ser combinados sempre que necessário, de acordo com tipo de ambiente, intervenção e serviço mais adequado para cada problema ou necessidade do paciente. Buscar a modalidade que melhor se encaixa em cada caso contribui para o sucesso na recuperação e para o retorno a uma vida produtiva na família, no trabalho e na sociedade.

 

Unidades Básica de Saúde (UBS)

 

Treinamento de médicos do Programa de Saúde de Família (PSF) e Unidades Básica de Saúde (UBS), de acordo com os critérios estabelecidos pelas diretrizes do Ministério da Saúde para identificar, tratar e encaminhar aos serviços especializados os casos de transtornos mentais que não consigam tratar, construindo um sistema de referência e contra-referência.

O sistema de referência e contra-referência está estruturado através da ação de equipes matriciais, ligados à rede de saúde mental (serviço de saúde mental de referência para uma determinada população) que é responsável por dar suporte técnico e de supervisão, através das técnicas de interconsulta e consulta conjunta para um determinado número do PSF e UBS.

 

 

Atenção Secundária: Os serviços de Saúde Mental no nível secundário representam um estágio intermediário de complexidade da assistência, atendendo a demanda que os serviços de nível primário não conseguiram tratar ou entenderam que, devido ao grau de gravidade ou a complicações deveriam ser encaminhados para serviços com maior resolutividade.

Os serviços são compostos por:

• Ambulatórios Psiquiátricos de Especialidades;

• Centro de Atenção Psico Social

 

 

Atenção Terciária: Quando os dois tipos de atenção, em menor grau de complexidade, não solucionaram os casos, os pacientes são encaminhados para internação em serviços especializados em psiquiatria.



 topo

 

 

Hospital Psiquiátrico Especializado

Serviços destinados a atender pacientes que necessitem cuidados intensivos cujo tratamento não é possível ser feito em serviços de menos complexidade. Funciona de acordo com seus programas de atendimento, contando com equipe multiprofissional completa necessária para desenvolver os programas terapêuticos da unidade.

 

• Unidade de Emergência Psiquiátrica

Unidade de pronto socorro psiquiátrico, aberta em tempo integral (24 horas por

dia), com leitos para acolher pacientes em crise, em curtíssima permanência (até 24

horas).

 

. Comunidade Terapêutica

As comunidades Terapêuticas são unidades que tem por função fornecer suporte e tratamento em um ambiente protegido, técnica e eticamente orientado aos usuários abusivos de substancias psicoativos
 

 

 

 

 

 

 

 

rede-de-atencao



























topo

 

Reinserção Social

Desenvolver ações para o estabelecimento ou regaste de uma rede social comprometida pelo período de abuso das drogas, visando à reconstrução das perdas ocorridas. Tem como objetivo a capacitação das pessoas para continuidade do tratamento como: atividades que estimulem a reflexão do paciente sobre a dependência de drogas como uma doença crônica; mudança do estilo de vida; desenvolver ações que motivem o paciente para a mudança do seu estilo da vida envolvendo, sobretudo, reformulação de hábitos e valores adquiridos no período de ingestão das drogas; realizar atividades que incentivem o usuário a investir na busca e na valorização de elementos que possam compor a rede de apoio para o processo de reinserção social através das oficinas Profissionalizantes. Cursos disponibilizados através do site da Prefeitura Municipal de Franca. Caminho para o Emprego que envolve as secretarias municipais de desenvolvimento, educação, saúde e assistência social.

 

 

Repressão

 

Enfrentamento ao trafico de crack e outras drogas – Trabalho conjunto com a Segurança Pública ao combate ao trafico. Proporcionar melhoria nas condições da segurança ao cidadão

Fornecer apoio ao DISE – Delegacia de Investigação sobre entorpecentes, através do apoio estrutural e logístico.

Promover ação continua para reduzir a oferta das drogas ilegais.

Incentivar a população a fazer denuncia através do disque - denuncia

 

Em casos de dúvidas ou problemas, não desista e procure ajuda e orientação em um dos seguintes serviços:

 


topo

 

UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

 

UBS DISTRITAL AEROPORTO I – “Dr. Fernando Ruas dos Santos”

Rua Zeferino José dos Prazeres, nº 750, Jd . Aeroporto I,  - 3701-8344

Horário: 24 hs   -     Atenção básica + urgência e emergência

 

UBS AEROPORTO III-“Dr. Anor Ribeiro de Souza”.

Rua Denizar Trevisani, s/nº, Jd. Aeroporto III - 3701-7177

Horário: 06h30 às 18h30  - Atenção básica

 

UBS ÂNGELA ROSA - “Dr. David Ewbawk Junior”

Rua Ângela Rosa Scarabucci, nº 691, Jd. Ângela Rosa – 3724-1374

Horário: 07h às 19h – Atenção básica

 

UBS BRASILÂNDIA - “Dr. Chafic Facuri”

Rua Porto Velho, nº 1871, Jd. Brasilândia - 3725-4118

Horário: 07h às 19h  -   Atenção básica

 

UBS ESTAÇÃO - “Dr. Jarbas Spinelli”

Av. Santos Dumont, nº 288, Bairro Estação – 3723-9279

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS GUANABARA

Rua Jamil Abdala, nº 351, Jd. Guanabara – 3724-6126

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS LEPORACE - “Dr. Cleomar Borges de Oliveira”

Rua Norberto Bassalo, s/nº, Parque Vicente Leporace  - 3704-8588

Horário: 07h às 19h   -  Atenção básica

 

USB DISTRITAL HORTO/MIRAMONTES - “Dr. Alfredo Carlos  Pereira”

Rua  Luiz Belchior, nº 1040, Parque do Horto  - 3703-0440

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS  PAULISTA - “Dr. Vilfredo Bulamah”

Rua  Luis Gama, nº 1880, Jd. Paulista – 3727-4060

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS  PLANALTO – “Dr. Tomaz  Novelino”

Rua Ofélia Soares Russo, nº 1140, Jd. Planalto – 3727-1185

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS  PROGRESSO – Dr. Antonio Peixe”

Rua  Hercílio Batista de Avelar, nº 1211, Parque Progresso – 3702-5275

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS  SANTA TEREZINHA – “Dr. Mário Martins”.

Rua  Frei Agostinho da Piedade s/nº, Vila Stª Terezinha  - 3703-0301

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

UBS  SÃO SEBASTIÃODr. Samuel Pereira de Almeida

Rua  Amélio B. Campos, nº 603, Vila São Sebastião  -3720-8810

Horário: 07h às 19h – Atenção básica

 

UBS PAULISTANO II – “Dr. Velasco Ribeiro Soares”

Rua  Gilberto de Aguilar, nº 790, Jd. Paulistano  - 3725-5055

Horário: 07h às 19h  -  Atenção básica

 

 


topo

 

PRONTOS SOCORROS

PRONTO SOCORRO DE REFERÊNCIA – “Dr. João Ribeiro Conrado” 

Rua Aluísio Pacheco Ferreira, 3910, Jd. Santa Eugênia – 3711-9442 / 3711-9444

Horário: 24 hs  -  Urgência e Emergência

 

PRONTO SOCORRO INFANTIL - Dr. Magid  Bachur Filho”

Rua  Aluísio Pacheco Ferreira, nº 3910. Jd. Santa Eugênia  - 3703-1141

Horário: 24 hs  -  Urgência e Emergência infantil

 

 

- Ambulatório de Saúde Mental Infantil - NAIA

Horário: 07h às 17h  - 3721-1167

 

 

- Ambulatório de DST/AIDS

Horário: 07h às 16h -  3722-4763

 

 

CENTRO DE TESTAGEM E ACONSELHAMENTO - CTA

Rua General Osório, nº 1417,  Centro – 3724-3920

Horário: 07h às 16h - Especialidade

 

NÚCLEO DE GESTÃO ASSISTENCIAL / NGA-16 - Dr. Ubirajara Cunha Nogueira de Freitas”

Rua  Aluísio Pacheco Ferreira, nº 4010, Jardim Santa Eugênia

Horário: 07h às 18h -  FAX: 3703-9389  e outros atendimentos:

 

- Administração –  3727-5397 – Atendimento de Especialidades

 

- Informação/Central de Vagas – 3727-5322

 

- Serviço Social – 3727-5350

 

- Enfermagem – 3727-5359

 

- Farmácia – 3727-5393

 

 

 

AMBULATÓRIO DE SAÚDE MENTAL ADULTO

Rua Aluisio Pacheco Ferreira, nº 4810, Jardim Santa Eugênia-  3705-2362

Horário: 07h às 17h   -  Especialidade

 

 

 

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL -  CAPS

Rua Cavalheiro Petraglia, nº 80, Bairro Estação - 3721-3947

Horário: 7h às 17h  -  Especialidade

 

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE - ADMINISTRAÇÃO

Av. Dr. Flávio Rocha, 4780 Jd. Redentor – 3711-9400

Horário: 8h às 17h.  

 

 

ROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA – NÚCLEO VERA CRUZ

Rua Raquel Jacinto Mesquita, nº 1311, Jd. Vera Cruz – 3704- 0071

Horário: 7h às 17h  -  Atenção básica

 

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA – NÚCLEO ESMERALDA

Rua Antônio Albino Silva, nº 160, Jd. Esmeralda – 3720-2893

Horário: 7h às 17h  -  Atenção básica

 

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA – NÚCLEO CITY PETRÓPOLIS

Rua Albert Sabin, nº 1471, City Petrópolis – 3703-8543

Horário: 7h às 17h  -  Atenção básica

 

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA – NÚCLEO PAINEIRAS

Rua Antônio Mariano, nº 230, Jd. Paineiras – 3703-5278

Horário: 7h às 17h -  Atenção básica

 

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA – NÚCLEO PALMA

Av. Leila Scarabucci Guimarães, nº 2842 Jd. Palma – 3727-8723

Horário: 7h às 17h

Atenção básica 

 

 

Primeiro Conselho Tutelar de Franca

Rua Manacá, 1724 – Centro

Fone: 3701-9677 / 3721-4894

 

 

CREAS – CENTRO DE REFERENCIA ESPECAILIZADO DA ASSISTENCIA SOCIAL.

Rua Floriano Peixoto, 1090 – Centro

Fone: 3723-9394

 

CRAS – CENTRO DE REFERENCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL – NORTE

Rua Ilton Barbosa da Silva, 745 – Leporace

Fone: 3704-8515

 

CRAS – CENTRO DE REFERENCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL – SUL

Rua Zeferino dos Prazeres, 750 – Jardim Aeroporto I

Fone: 3701-7109

 

CRAS – CENTRO DE REFERENCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL – LESTE

Rua Porto Velho, 1871 – Jardim Brasilândia,

Fone: 3725-2001

 

CRAS – CENTRO DE REFERENCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL – OESTE

Rua Major Mouro Mattos, S/nº = Vila São Sebastião

Fone: 3720-7119

 

CRAS – CENTRO DE REFERENCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL – CENTRO

Avenida Champagnat, 1750 – Centro

Fone: 3711-9264

 


topo

 

 

SEGURANÇA PÚBLICA

Policia Civil

Delegacia Seccional de Policia de Franca

Rua Campos Salles, 2244

Fone: 3724-3199 – 3722-4711

 

1º Distrito Policial de Franca

Rua Campos Salles, 2244

Fone 3722-2011

 

2º Distrito Policial de Franca

Rua Irmão Antunes, 915

Fone 3724-5688

 

3º Distrito Policial de Franca

Rua Manoel Valim, 517

Fone: 3720-2261

 

4º Distrito Policial de Franca

Rua Reynaldo Chioca, 1188

Fone: 3702-1380

 

5º Distrito Policial de Franca

Av Dr.Abrão Brickmann, 101

Fone: 3704-8977

 

Plantão Policial

Rua Campos Salles, 2275

Fone : 3722-4711 / 3724-3199

 

DISE – DELEGACIA DE INVESTIGAÇÃO SOBRE ENTORPECENTES DE FRANCA

Rua  Cel. Tamarindo, 2851 – Vila Nicácio

Fones: 3724-3551 / 3724-4665

 

Policia Militar

Companhia de Força Tática do 15º BPMI

Av. Alberto Pulicano, 3200 – Distrito Industrial

PABX 721-4781  -  3701-5146

 

1º Cia do 15º Batalhão de Policia Militar de Franca

Rua Alfredo Tozzi, 1200

Fone: 3722-1988

 

5º e 6º Cia Policia Militar

Av. Dr. Flavio Rocha, 4281

Fone: 3724-7911 /3724-7882

 

15º Batalhão de Policia Militar do Interior

Rua Alfredo Toz\zi, 1200

Fone: 3722-1988


 topo

 

© 2017 Prefeitura Municipal de Franca - São Paulo/Brasil
R. Frederico Moura n° 1517, Cidade Nova - Franca/SP, CEP: 14401-150
Fone: (16) 3711-9000, CNPJ: 47.970.769/0001-04/I.E.: Isento.
Desenvolvido pela Divisão de Tecnologia da Informação - Prefeitura de Franca.
Problemas na página, mande um e-mail para: informatica@franca.sp.gov.br.